Make your own free website on Tripod.com
Primeira Mão - Notícias
Foi assim que tudo começou!
Home | Links | Circuncição | A ética no judaísmo | Citações da Bíblia e do Talmud | As 95 Teses de Lutero | 613 Mandamentos Judaicos | Homenagem ao Rabino | Membros da Primeira Sinagoga das Americas | Genealogia Judaico-Brasileira | Israel Somente Quando Interessa | Pagando Para Veicular Anti-Semitismo | Foi assim que tudo começou! | Foi assim que tudo começou! | No Porto de Pernambuco, a Porta para Nova York"

A Cura Americana Para Tudo: Punam-se Os Inocentes!!!




Alguns babacas Muçulmanos Britânicos conspiram para explodir aviões usando "explosivos líquidos". Então cidadãos Americanos inocentes têm que ficar em filas durante horas, jogando fora de tudo – desde batom a perfumes – têm de tirar seus sapatos e passam por outras indignidades.

Mas há soluções melhores.

Os Israelenses interrogam todo mundo antes de deixarem qualquer um subir a um avião da El Al. Eles não procuram bombas nem armas - como nós fazemos. Eles procuram terroristas. Até agora, seu método deu certo, 100% das vezes.

Se os americanos fossem tão sérios sobre segurança de vôo como os Israelenses, talvez nós aprendessemos com eles. Isso significa teríamos que traçar "perfís” para interrogar. Infelizmente, alguns americanos são mortalmente contra traçar perfil. Eu prefiro ofender a estes imbecis que morrer porque políticos têm medo de fazer perfis de terroristas.

Aqui vai uma idéia: Se você não gosta que façam seu perfil ou o interroguem, não voe. Eu não quero esperar durante horas enquanto o pessoal da Segurança de Transporte submete velhinhas em cadeiras de rodas a buscas intrusivas. Eu prefiro muito mais que estes burocratas verifiquem os Muçulmanos que querem subir no o avião.

Nem todo Muçulmano ou Árabe é terrorista. Mas, até agora, na Guerra ao Fascismo Islâmico, todo terrorista é Muçulmano. Seria demais esperar que Muçulmanos inteligentes entendam que traçar perfil não protege apenas os não-Muçulmanos, mas protege também os próprios Muçulmanos? E, como haverá menos pessoas a interrogar, a longa espera para embarcar num avião será encurtada para todo mundo – incluindo os Muçulmanos.

Naturalmente, nesta era de elevada consciência sobre direitos civis, com a ACLU inventando novos direitos a cada dia e o New York Times reivindicando o direito do público de saber todos os aspectos da segurança nacional, algumas pessoas naturalmente ficarão furiosas quando forem escolhidas para uma inspeção mais cuidadosa. Elas deverão entender que não é nada pessoal.

Talvez se mais que um punhado de um ou dois Muçulmanos (metade deles mulheres!) fossem suficientemente corajosos para denunciar o terrorismo Fascista Islâmico, (sem culpar os EUA ou algum outro inimigo imaginário, ou afirmando que o Islã é superior ao Cristianismo e ao Judaísmo, ou justificar o assassinato de civis), maior número de nós os aceitaríamos e veríamos as suas queixas como sérias. Até então, eu realmente não me preocupo se eles levam para o lado pessoal ou não. Tudo que me preocupa é ir daqui para alí com segurança e rapidamente, com pouca turbulência - no chão e no ar – tanto quanto possível.

Você já se perguntou por que velhinhas em cadeiras de rodas não formaram um grupo especial de pressão e contratou um advogado para abrir uma ação contra as linhas aéreas? Talvez devessem chamar a ACLU. Não. Eles só defendem os nazistas, comunistas e pedófilos. Eles processam comunidades exigindo que retirem cruzes de locais públicos. Isto prova que Fascistas Islâmicos não são as únicas pessoas no planeta que deveriam estar em asilos psiquiátricos.

Os muçulmanos parecem ficar incomodados com coisas triviais que não incomodam os demais. Tal como charges. Em vez de rir, escrever uma carta ao redator, cancelar sua assinatura ou virar a página, eles assassinam as pessoas que eles chamam "infiéis". Ainda que as pessoas que eles assassinam não tiveram nada a ver com as charges. E depois os Muçulmanos queixam-se de serem interrogados.

Se interrogar não é aceitável porque não é Politicamente Correto, aqui vai outra idéia: Ponham-se os Muçulmanos em um avião e ponha-se os outros de nós num avião diferente. Se isso me transforma num "racista," eu posso viver com isso. Eu prefiro ser um racista vivo que uma vítima morta do fanático racismo Muçulmano e da estupidez da Correção Política Americana.


Escrito por: Robert Sandler no The Evening Bulletin. Tradução de Marcos L. Susskind
Publicado no site em: 23/08/2006
Comentários dos Leitores(0)